Logo Teste

Grupo Delphi realiza PPRA anual com foco na Covid-19

Programas avaliam riscos dos ambientes de trabalho para medidas coletivas de proteção e segurança, evitando que empresas e condomínios fiquem sujeitos a riscos da doença e multas

As relações trabalhistas tiveram mudanças impostas pela pandemia do coronavírus no Brasil. Uma importante alteração foi a possibilidade de considerar a Covid-19 como doença ocupacional, ou seja, doença vinculada à atividade profissional do trabalhador. Para se resguardar, as empresas devem comprovar que não foram relapsas quantos aos procedimentos básicos de segurança e saúde de seus empregados. Tais como, fornecimento de álcool gel, exigência da fornecimento de máscaras, distância mínima entre funcionários, revezamento de turnos, se for o caso, entre outras medidas.

Com o objetivo de evitar que os clientes fiquem sujeitos a multas, o Grupo Delphi continua a realizar as avaliações obrigatórias de Medicina e Segurança do Trabalho. Uma delas é o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), agora com foco também no combate ao coronavírus nas empresas e condomínios. O PPRA determina uma análise global nas empresas pelo menos uma vez por ano, para avaliar os riscos existentes nos ambientes de trabalho, causados por agentes físicos, químicos ou biológicos.

Como o trabalho será feito?

Neste período de isolamento social, o serviço está sendo realizado da seguinte forma: o Grupo Delphi utiliza as informações dos riscos levantadas anteriormente para realização de ajustes necessários, estabelecendo novas metas e prioridades. E propõe no PPRA um prazo para a realização de vistoria in loco para avaliações quantitativas de risco. O PPRA é elaborado por médicos e engenheiros de segurança do trabalho, devidamente habilitados para exercer essa importante função.

A legislação permite que as avaliações quantitativas dos riscos sejam feitas numa segunda etapa, com a visita técnica, evitando que as empresas fiquem expostas a multas de fiscalizações e processos trabalhistas. “Em relação ao coronavírus, por exemplo, se o funcionário diagnosticado conseguir provar que a empresa foi relapsa, o empregador terá que assumir responsabilidades. O empregado terá direito à estabilidade provisória, bem como todo amparo previsto na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), por se tratar de uma doença adquirida em virtude do trabalho ou do ambiente laborativo” , explica o Diretor do Grupo Delphi, David Gurevitz.


O PPRA especial Covid-19 do Grupo Delphi incluirá as recomendações técnicas sobre:

• Sanitizações e desinfecções, aplicação, materiais, EPI’s e seu manuseio;
• Produtos indicados (ANVISA, 2012);
• Classificação de áreas conforme o risco: áreas críticas, áreas semi-críticas e áreas não críticas;
• Classificação de superfícies ambientais com maior grau de contato com as mãos e superfícies com o mínimo de contato;
• Desinfecção de utensílios compartilhados e suas restrições;
• Manejo das visitas;
• Utilização das áreas comuns;
• Cuidados com EPIs – O que pode ser reutilizado e como fazer a desinfecção desse material;
• Uso correto dos EPIs – máscaras, capote descartável, óculos de proteção, luvas e gorros;
• Recomendações para o estabelecimento de Plano Operacional de limpeza do estabelecimento;
• Capacitações recomendadas.
O Grupo Delphi disponibilizará gratuitamente treinamentos por vídeo. E o PPRA contará também com medidas coletivas de proteção e segurança da saúde em tempos de Covid-19.